A autenticidade e identidade do artista Wallacy Bronson

Conheça Wallacy Bronson, especialista em preto e cinza que se destaca cada vez mais na cena da arte!

Entrevistamos o artista Wallacy Bronson, referência atual na tatuagem em preto e cinza!

Confira agora nosso bate papo e conheça mais a trajetória deste artista incrível! 

“Não cite as referências, trabalhe para se tornar uma”
Esta é uma das frases que Bronson carrega consigo em sua jornada como artista.

Vindo de uma família humilde, o artista relembrou tudo o que passou para hoje viver fazendo o que ama. Em sua fala é possível notar que ele está sempre em busca da sua melhor versão.

Não por acaso, se tornou um destaque dentro da cena da tatuagem com toda sua originalidade e trabalho impecável!

Artista autodidata, suas raízes vêm da cultura hip hop e a paixão pelo desenho o acompanha desde novinho.

Consciente de onde quer chegar, Bronson nos ensina muito sobre persistência e autenticidade.

Convidamos você a mergulhar nessa história e conhecer a fundo a trajetória de um artista criativo e irreverente!

Confira a entrevista! 

Artista Wallacy Bronson fazendo o que ama!

Primeiramente, ficamos curiosos para saber como tudo começou!
Perguntamos ao Bronson quando ele decidiu se tornar artista e como foi sua história com a arte:

Bronson: Meu primeiro contato com a arte foi aos 12 anos de idade, quando eu conheci a cultura hip hop, conheci o graffiti e o break. Mas eu desenhava desde bem pequeno.
Porém essa cultura é algo que gosto de ressaltar. Porque, foi muito importante para minha educação e identidade quando migrei para a tatuagem

Tanto no graffiti como no break (eu era b.boy), você precisa ser autêntico, precisa de autenticidade, identidade e originalidade.

Uma pessoa olha para o seu graffiti, ela já sabe que ele é seu, sem ao menos ter a sua tag, porque essa cultura eleva muito isso, ter uma identidade.

Olhe para um graffiti desses artistas nacionais que darei como exemplo: Kobra, Os Gêmeos, Crânio, Nunca, Finok. O trabalho desses artistas não precisa estar assinado por eles para você saber que são trabalhos deles. Porque traz muita identidade, você bate o olho e já sabe quem é, quem foi que fez.

O break tem o mesmo conceito, você passa a conhecer o b.boy pelo seu estilo, pelo seus movimentos, por sua autenticidade.

Porque estou falando sobre autenticidade? Porque é algo que é necessário para qualquer ramo ou área.

Bronson completa dando o exemplo da música:

Bronson: Porque um músico estoura no mercado musical? Porque ele vem com uma levada sonora diferente, com um flow diferente, com uma musicalidade diferente, com uma voz diferente, com um ritmo diferente…Por isso ele se destaca no meio de muitos. Então, ter uma identidade faz toda a diferença em nossa trajetória. 

Basta observar o trabalho que o artista faz para notar toda essa bagagem em seus traços! Veja algumas de suas artes fantásticas:  

Bronson: Quando eu migrei para tatuagem, eu trouxe comigo essa educação.

E assim foi a minha trajetória com a arte.
Desenhava e passei a fazer graffiti e dançar break, até migrar para tatuagem!

Tudo com muita intensidade, dando o meu melhor nas condições que tinha enquanto não tinha condições melhores, para fazer melhor ainda.

Então acabei ficando bom em tudo o que fazia, cresci um autodidata, e isso foi por causa da criação do meu pai e por virmos de uma estrutura humilde, onde ele sempre me dizia: “Você é forte, você consegue, vai lá e dê o seu melhor, independente da ocasião.”

Certamente eu precisava focar em uma coisa só. Por exemplo, você não vê um grande atleta que seja bom em várias modalidades ao mesmo tempo. No futebol, basquete, vôlei, tênis… Ele precisa focar em uma coisa só.

Então eu foquei na tatuagem!

Qual foi o momento mais marcante na sua história da sua carreira até hoje?

Bronson: Me recordo de uma data muito importante. Em 2017, tinha 1 ano que eu estava tatuando, decidi participar do Tattooweek, uma convenção de tatuagem conhecida como a maior convenção de tatuagem do mundo.

Quando cheguei nesta convenção (por ter sido a minha primeira) eu não sabia como funcionava as coisas, os critérios, a educação do evento, percebi que a tatuagem era muito livre.

Eu vi muitos artistas produzindo a mesma coisa que outros, um ao lado do outro somente em estandes diferentes. Ou seja, fazendo praticamente a mesma imagem, a mesma tatuagem. Não é como é hoje em dia, que nos preocupamos com o que estamos fazendo, a tatuagem era muito livre! Quando vi aquilo pensei, “Nossa é assim que funciona, eles podem fazer a mesma tatuagem?”
E pensei comigo mesmo que se fosse eu no lugar deles, faria algo diferente!

E isso foi muito importante para mim, com a educação e ensino que havia tido com o graffiti e o b.boy.

“Quando entrei para tatuagem queria fazer algo diferente, algo com identidade, queria ter a minha identidade!”

Bronson: Por conta desse pensamento me destaquei bem rápido. Me recordo que fiz um trabalho incrível diferente de tudo aquilo que estava no evento, e achei que poderia até mesmo ganhar, porque parou uma quantidade absurda de pessoas para ver esse meu trabalho.

Mas porque parou essa quantidade de pessoas para admirar? Porque eu tinha feito algo diferente.

Por isso, se você fizer a diferença você vai se destacar, as pessoas irão se identificar com você.

Pela quantidade de pessoas que parou no meu estande achei que iria ganhar alguma colocação no pódio, mas não, não ganhei nada. Na verdade ganhei sim, muita experiência.

Naquele dia quis entender que tipo de trabalho que ganhava a convenção, pude ver os ganhadores e estudar o que precisava para ser premiado.
Não me arrependo em não ter ganho, aquele momento foi importante para eu me reconstruir, estudar e me tornar melhor.

“Perder naquele momento me fez querer ganhar! E foi o que fiz dali em diante. O maior problema é que tem pessoas que na primeira barreira já param e desistem. Aquilo que aconteceu só foi um combustível para mim!”

Bronson, quem foi a pessoa que mais apoiou e o que ela fazia?

Bronson: Me recordo de um grande momento, um dos mais importantes da minha carreira. Neste mesmo dia, no evento da TattooWeek, eu vi o estande da Electric Ink, a coisa mais linda! Uma estrutura simplesmente incrível, impecável.

Uma estrutura toda de vidro bem futurista, uma iluminação incrível, todos os artistas unidos, uniformizados a coisa mais linda!

Eu me recordo que estava de mãos dadas com a minha esposa, Yolanda Alves que está comigo desde o início de tudo e até hoje. Desde quando eu morava dentro de um galpão dividindo barracos com 5 familiares, uma situação muito, muito precária. 

Eu tinha o apoio dos meus pais, irmãos, e amigos, mas ela era quem passava a maior parte do tempo comigo, e sim foi a pessoa que mais me apoiou.

Enfim, lembro que estava de mãos dadas com ela em frente ao estande da Electric Ink e eu disse: “Vida, um dia eu estarei aí dentro, fazendo parte desse time!”

Sabe o que ela me falou? “Eu acredito em você!”

Em 2018, um ano depois no Tattooweek, eu estava lá no estande da Electric Ink sendo um artista patrocinado, e melhor, premiado na maior convenção de tatuagem do mundo! Fiquei em terceiro lugar na categoria mais concorrida do evento, black and gray, me recordo que haviam 320 artistas na fila desta categoria.

Para ser sincero não fiquei satisfeito com a minha colocação, achei que iria ficar em primeiro lugar, fiquei frustrado mas a Yolanda me falou: “Bronson, olha onde você chegou, você há um ano falou para mim que estaria dentro do estande da Electric Ink, e você está lá, e ainda foi premiado, olha que conquista enorme!” 

Aquelas palavras me fizeram entender aonde eu cheguei e o que eu havia conquistado. Após isso só cresci mais e mais, por conta do meu foco absoluto e de quem estava ao meu lado.

Tem alguma curiosidade em sua vida que quando você conta as pessoas se surpreendem? 

Bronson: De onde viemos. Como eu falei,vim de uma família humilde, sem estrutura financeira, passamos por situações muito difíceis, e as pessoas nos veem hoje com a situação que nos encontramos, é difícil de acreditar.

“Uma coisa que me fez crescer foi exatamente isso: Acreditar!”

Bronson: Quando você ouvir a frase “acredite em você”, a pessoa que está falando isso está cheia de resultados. E o que você faz? Você passa acreditar naquilo que ela acredita porque ela tem ótimos resultados. Você acha que fazendo a mesma coisa, vai se tornar uma pessoa de bons resultados também.
E na verdade para ter se tornado a pessoa que se tornou ela acreditou nela, na essência dela. Então quando uma pessoa fala “acredite em você”, é para você acreditar na sua essência, no seu potencial, em sua originalidade, acreditar em si mesmo.

"Ter referência é importante mas não cite somente referências, trabalhe para se tornar uma." 

Bronson: Tenha a sua identidade, assim pode ter certeza que irá se destacar dos demais.
Observe por exemplo os tatuadores mais nomeados nacionalmente dentro da minha especialidade. Tem uma fila de pessoas atrás desses tatuadores querendo ser o que eles são, querendo fazer o que eles fazem, querendo ter os mesmos resultados, e a pessoa por querer isso passa a copiar essas referências, e esquecem de ser elas mesmas. 

Quando a pessoa acredita em si, ela se destaca e se torna diferente dos demais, e onde tem aquela fila de pessoas, ela desvia. E acontece algo incrível que as outras pessoas que estavam na fila seguindo aquela primeira, passam a seguir essa que agora é diferente. Porque? Porque é algo diferente que chama a atenção, e você vai se identificar por conta do artista que tem dentro de você.


Então, acredite em você!

Na ausência de referência, seja.

Arte de Wallacy Bronson

Como você descreve seu processo criativo?

Bronson: O meu processo criativo é algo simples, não preciso estar inspirado. Na verdade, inspiração não temos a todo tempo, é algo que vamos atrás, buscamos para conseguir obtê-la. É preciso você ir mesmo sem saber em que caminho aquilo irá te levar, mas é preciso ir, e isso é incrível que sempre chegará aonde quer!

“O que me alimenta é o desenho, eu desenho com constância, isso me faz ter sede de evoluir, continuar me surpreendendo em cada desenho, ou melhor em cada criação!”

Quem inspira você na tatuagem e na pintura?

Bronson: Me alimento de muitas referências, às vezes até mais fora da tatuagem do que dentro dela. A ideia é sempre trazer referências para dentro do que você faz, você consegue se alimentar de outras profissões e outros nichos de negócios. Você busca o conhecimento, o reconstrói e coloca dentro da sua área. 

Mas posso dizer que sou a minha maior inspiração, é uma constante briga minha comigo mesmo. O que me inspira também é ver pessoas grandiosas, e saber que para eu chegar lá só depende de mim mesmo e dos meus resultados!

Quem são os seus clientes? Como são os hábitos dos clientes, o que eles mais conversam com você?

Bronson: Meu maior público é masculino, mas agora as mulheres estão se identificando também com esse estilo. Consegui direcionar para um público mais seleto, por valorizar o que eu faço e o quanto me esforcei para fazer como eu faço!

Os hábitos dos meus clientes são praticamente uma troca de experiências, porque além da tatuagem a pessoa deseja se conectar à você para entender como você pensa, vive e se motiva. É assim que as pessoas alimentam pessoas, uma grande troca de conhecimento!

A resposta sempre será a mesma: eu dou o meu melhor sempre!

Qual foi a história mais bonita que você já tatuou?

Bronson: Tenho muitas, mas o incrível é que nos meus 7 anos de carreira eu consigo aprender muito com todas as histórias. Mas já tiveram muitas, das mais emocionantes que acabei chorando com o cliente, até as mais engraçadas!

Agora, tatuagem inusitada com certeza foram as tatuagens de convenções. Sou ganhador de muitas, e sempre me surpreendo com a quantidade de horas que ficamos em cada trabalho!

Além de tatuar você ministra Workshops, conta sobre essa paixão em ensinar:

Bronson: Sim, além de tatuar eu ministro Workshops, é incrível essa nossa trajetória! Quando comecei só queria ser muito bom no que faço, não ser melhor que ninguém mas melhor para mim mesmo, como falei é uma grande briga constante de você com você mesmo.

Ver o meu trabalho em ascensão, cliente querendo, sendo premiado em convenções, o meu nome presente entre os mais nomeados na minha especialidade, me trazendo grandes resultados…Eu sinceramente acho tudo isso muito incrível! 

Ver todo estudo, noites e noites sem dormir, o esforço que precisei fazer para alcançar esses resultados. Só nós mesmo sabemos o quanto foi doloroso. Crescer dói, evoluir dói.

Hoje consigo ver que todo esse esforço não foi em vão, também consigo mudar trajetórias de outras pessoas, pessoas que querem crescer como eu quero.

Isso me traz mais sentido, me faz conseguir entender mais ainda o meu propósito.

“Ensinar para mim é aprender mais e mais!”

Quais são as tatuagens que mais procuram você para fazer?

Bronson: Por acreditar em meu estilo e ter criado uma identidade, as pessoas acabaram se identificando e me deixam muito livre para construir algo para elas. Além de tudo, o profissional somos nós. Nós iremos orientar o melhor caminho, no presente ou algo futuro, até mesmo para dar continuidade no que ela estava em mente, algo que tenha uma interação com as próximas tatuagens, algo original e autêntico

Uma coisa que sempre exponho é que da mesma forma que você me trouxe uma imagem como referência, em breve a sua tatuagem irá se tornar uma referência para os próximos. Então, tenha algo seu, exclusivo, original e autêntico!

Por esse tipo de pensamento as pessoas acabam me deixando bem livre. Mas me procuram muito pelas estátuas que faço, e sou suspeito para falar porque é algo que me identifico muito. 

Bronson nos contou que combina sua técnica usando somente agulha 5/RL que é conhecida como tatuagens rasteladas ou como whip shading, termo que significa "sombreado de chicote".  Essas técnicas possuem um efeito visual de traço e ponto em um mesmo elemento, e segundo o artista explicou, combina com qualquer tipo de imagem.

Bronson: Hoje vejo minha arte de uma forma que não é mais datada, consigo imaginar minha tatuagem depois de 30 anos e ela ainda ser algo incrível, por isso gosto de trabalhar com estátuas, os clássicos nunca morrem!

Um artista tão criativo, certamente possui inúmeros objetivos pela frente! Conta pra gente Bronson, quais são seus planos?

Bronson: Meu plano é me tornar uma referência, quando ditarem “tatuagem” o meu nome estará vinculado naquele meio. Acho incrível você sempre estar vivo, independente se partiu para outro lugar ou não. Deixar um legado e ter construído uma ótima história, contribuído com a cena e com a cultura.

Quem é uma grande referência nunca morre.

Assim como esses fenômenos mundiais: Albert Einstein, Leonardo da Vinci, Michael Jackson, Ayrton Senna. Eles nunca morrem, sempre serão lembrados por alguém, e ser lembrado faz você se manter vivo.

Para isso, você precisa ser visto e quem não é visto não é lembrado.

Bronson tem muito a compartilhar sobre sua visão de mundo e como enxerga a arte na sua vida: 

Bronson: Recentemente publiquei na bio do meu Instagram: “Uma tatuagem mudou a minha vida”. Sabe porque?

As pessoas sempre me perguntam: “Wallacy Bronson qual é a tatuagem que você mais gostou de fazer, a tatuagem que você fez melhor, a tatuagem que fez toda diferença na sua trajetória?”

E eu respondo que a tatuagem que mudou minha vida, sempre será a minha última, porque vou sempre tentar me superar, elevar o meu nível, então minha melhor tatuagem será sempre a minha última. 

Isso se torna muito motivador para mim mesmo porque me faz querer sempre fazer uma tatuagem melhor que a anterior.

Então, sempre que eu for fazer uma tatuagem, ela irá mudar minha vida. E é esse tipo de pensamento que me faz ter ótimos resultados, mais pessoas irão querer minha arte, terei reconhecimento, premiações, contratos, opções de escolher o que é bom ou não para mim.

Uma tatuagem mudou a minha vida! Não precisamos de 500 tatuagens, precisamos de uma, mas uma muito bem feita, essa tatuagem vai mudar a sua vida!

Esse pensamento faz sua qualidade ir lá em cima, e assim você vai promover mais ainda o seu trabalho e ter ótimos resultados!

“Se não estão falando bem ou mal do seu trabalho, é porque você não fez grande coisa!” 

Por fim, queremos dizer que ficamos imensamente felizes e incentivados em conhecer mais profundamente a trajetória do Bronson. 

Nós do Tattoo2me já acompanhamos sua carreira há bastante tempo e ficamos honrados em contar aqui a sua história!

Temos certeza que ele continuará galgando seus maiores objetivos e inspirando muitas pessoas ao redor do mundo através do seu trabalho!

Bronson, muito obrigada pela entrevista!

Trabalho fantástico de Wallacy Bronson

E se você gostou da matéria e curtiu o trabalho do Bronson, continue acompanhando o artista nas redes sociais!

Instagram: https://www.instagram.com/bronsontattoo_/ 


Hey, você que está lendo, fica com a gente que tem outras matérias e artistas inspiradores aqui no Blog do Tattoo2me!