Conheça Jessi Barros: Artista especialista em pele preta.

Entrevistamos a artista Jessi Barros de Brasília que compartilhou sobre seu propósito na vida e na arte

-

Entrevistamos a artista Jessi Barros de Brasília que compartilhou sobre seu propósito na vida e na arte

Autoestima, auto amor e transformação são palavras que descrevem o propósito da artista Jessi Barros.

Nesta entrevista ela compartilha com o Tattoo2me a sua história na carreira da tattoo, assim como suas inspirações e motivações.

Confira!

Artista Jessi Barros

Jessi, Descreva um pouco sobre você, como pessoa e como foi sua trajetória até aqui:

Eu sou Jéssica Barros. Nasci e cresci no Distrito Federal. Desenho desde muito novinha, assim como toda criança que nos primeiros anos começa a rabiscar. A diferença é que eu nunca parei.

Sempre achei que eu fosse trabalhar com criatividade. Quando eu era criança queria ser escritora e à medida que fui crescendo fui me aproximando mais do desenho, artes visuais e vídeo. 

Cursei 5 semestres de comunicação social – audiovisual na Universidade de Brasília para depois perceber que não era bem isso. No fim das contas me formei em artes visuais e realmente é uma área com a qual me identifico bem mais e que também soma muito na minha profissão, a tatuagem.

Como a tatuagem entrou na sua vida e qual seu propósito em fazer arte?

Conheci a tatuagem através da cultura underground. Minhas referências quando mais nova vinham bastante do punk, hard rock, estilos bem marcados pelas tatuagens e por vezes modificações corporais. À medida que fui amadurecendo e tendo contato com estudos sobre raça, principalmente na UnB, pude enriquecer meu repertório pessoal e hoje relaciono a tatuagem com a cultura egípcia, o funk, o hip hop e com povos originários de diversos lugares do mundo. 

A ideia de parar de consumir tatuagem e começar a produzi-la veio por incentivo de amigues próximos e do meu pai. No início eu fazia desenhos para amigues tatuarem com outros tatuadores, até que algumas pessoas à minha volta começaram a reparar que meus desenhos eram muito “tatuáveis”.

Minha primeira experiência com o fazer da tatuagem foi tatuando a mim mesma. Fiz um desenho bem simples de um elefante na perna e esperei pra ver se ia cicatrizar bem.
E não é que cicatrizou? Na sequência comecei a tatuar vários amigos e fui evoluindo aos poucos, me tornando cada vez mais profissional. Hoje tenho um estúdio próprio na Asa Sul em Brasília-DF, o @sinceratattoo.

Jessi conta sobre o seu propósito em fazer arte:

Eu me defino como uma tatuadora preta especialista em pele preta e isso norteia todo o meu trabalho. Tenho vontade de ser uma referência na tatuagem em pele preta e acredito no poder transformador da estética preta. Acredito que a tatuagem consegue refazer o nosso olhar sobre nós mesmes, fazendo com que o povo preto se enxergue com valor.

Autoestima, auto amor e transformação são boas palavras para incluir no meu propósito.  Além de ser especialista em pele preta, também faço coberturas de cicatrizes e tatuagens antigas ou indesejadas.

Como atualmente você conversa e até mesmo convence o cliente a ter uma arte autoral, e não uma cópia da internet?

Eu tenho um público muito fiel, alguns que acompanham meu trabalho desde o início. Desde os meus primeiros estudos sempre insisti na criação de projetos autorais e diversas vezes recusei trabalhos por serem cópias.

Hoje em dia quem me procura normalmente sabe como é meu processo de atendimento, criação, aplicação da tattoo e o pós. Eu gosto de sempre mandar textinhos com essas informações para que tudo fique bem explicado.

Vez ou outra algum cliente vai insistir na cópia, e aí vem o caso de recusar o trabalho, mas é raro. Eu crio mesclando várias técnicas e estilos na tatuagem, isso me faz uma tatuadora bem versátil. Eu tenho uma certa flexibilidade que faz com que meu estilo se adapte a um público relativamente grande. As vezes isso faz com que o meu traço e identidade não sejam tão facilmente reconhecidos, mas estou bem com isso e sigo experimentando diversas técnicas e vendo como meu traço se comporta.

Como são os seus clientes, o que eles mais procuram você para realizar e quais são os hábitos deles?

Minhas clientes são majoritariamente mulheres na faixa dos 25 a 40 anos. Sou procurada para fazer tatuagens ornamentais e florais em áreas grandes como peito, underboob, costas, barriga. Também sou bastante procurada para fazer coberturas e reformas de cicatrizes cirúrgicas, tatuagens antigas ou indesejadas.

A grande maioria do meu público é composta por psicólogas, professoras e pedagogas. No geral, minhas clientes são pessoas que buscam constante evolução e autoconhecimento, que muitas vezes tem a tatuagem como símbolo dessas transformações e momentos da vida. São pessoas que também estão em busca por autonomia corporal e vêem a tatuagem como forma de serem senhoras de si e desse corpo.

Além da tatuagem, quais outros tipos de arte você desenvolve?

Além da tatuagem sou fotógrafa e artista visual (pintura). Tenho alguns prints à venda, embora minha produção fora da tatuagem tenha um ritmo bem mais lento.

O que na arte gostaria de fazer e ainda não fez e gostaria de se desafiar?

Ultimamente tenho tido vontade de fazer grandes peças de Full black (tatuagens com grandes áreas de “preto chapado”). Lancei alguns projetos no Instagram e quem animar, vamos nessa.

Qual história tatuou que mais fez diferença para você? O que era?

Me vem histórias muito íntimas na cabeça. Processos de superação de traumas de racismo, doenças, situações de abuso.

O que posso dizer é que a tatuagem é um símbolo. Às vezes ela é o começo de um processo e às vezes o final. Uma forma de expressar amor pelo próprio corpo ou de começar a se amar a partir dela.

Conta Jessi Barros

Você tem pretensão de fazer guests e visitar outros estados e países para levar sua arte? Se sim, quais?

Tenho sim. Atualmente tenho contatos em Salvador, São Paulo e Rio de Janeiro. Obrigada as amigues pretas que sempre me acolhem nas minhas idas.

Fora do Brasil tenho muita vontade de ir pra Irlanda. Preciso me organizar direitinho pra conseguir ir, mas tenho uma grande amiga lá e alguns clientes que tatuei no Brasil e foram morar lá. Aparentemente tem muitos brasileiros na Irlanda. Isso me faz ter mais vontade de ir.

Qual artista você adoraria fazer uma collab futuramente?

Espero eventualmente tatuar no Sensação Tattoo, o estúdio do Djonga em BH.

Quem você admira na arte da tatuagem e por que escolheu essa pessoa?

Admiro muito Thamu Candylust que hoje se identifica como pessoa não binárie, mas foi provavelmente a primeira tatuadora negra do Brasil. Admiro elu por que sei da sua história de 15 anos de tattoo. Também conheço como amigue pessoal, sendo uma pessoa incrível que é a “cola” de vários movimentos e faz as coisas acontecerem. Admiro também Luna B, Math Quirino, Debby Mota e tenho planos de ter a arte deles na minha pele. Tenho muita vontade de conhecer o artista Finho e fundador do estúdio retinto.

( A primeira matéria do Blog do tattoo2me foi com o FINHO em 2016: https://blog.tattoo2me.com/pelepretatatuada-4a04efb9b51d)

Qual legado você gostaria que sua arte deixasse e qual dica você daria para quem está iniciando na tatuagem como artista?

Acho que minha arte é meu legado. Espero que ela seja inspiradora e que a tatuagem seja cada vez mais preta. Que um dia a gente consiga achar tantas referências de tatuagem em pele preta quanto de peles brancas por aí.

Sobre quem está iniciando:
Eu acho que a galera tá iniciando hoje muito avançada. Eu tenho 6 anos de tatuagem, mas vejo gente com um ano que tá brilhando milhões. Meu conselho é: vamos compartilhar conhecimento e trocar figurinha porque a gente sempre tem o que ensinar e o que aprender.

Qual conselho você deixa para quem ainda vai se tatuar?

Quem vai se tatuar, escolha a profissional que faz seus olhos brilharem. Veja e reveja o portfólio da pessoa milhões de vezes e faça um orçamento. Às vezes a gente fica só sonhando. Faça um orçamento logo, traga para o plano real.

E pra fazer o orçamento vamos facilitar a vida dos profissionais tendo referências, tamanho em centímetros, foto do local. Sua tatuadora vai amar, tenha certeza.

Trabalho de Jessi Barros contribuindo pra autoestima de mulheres

Nossa entrevista está quase acabando e nós adoramos conhecer um pouco mais da história desta artista incrível que é a Jessi Barros!

Ela finaliza compartilhando sobre seu momento atual

Por fim: Tô numa fase de transição no meu trabalho. Vinha seguindo uma linha e agora estou quebrando com ela, mas ainda não sei exatamente pra onde estou indo. Ou seja, estou experimentando horrores dentro da tatuagem, principalmente em projetos grandões.

Meu trabalho pode ser encontrado no Instagram e no Tiktok.

Meu @ é @jessitatuadora

Para entrar em contato por email: [email protected]

Demais, né?
Acesse o Instagram da Jessi e agende sua tatuagem com ela!

Telefone: 61 99172-6855

Cidade: Brasília

Nicole Ognibenihttps://tattoo2me.com
Jornalista apaixonada por novos sabores, tatuagens, viagens e animais. Vem pro meu mundo: @nicole.ognibeni / blog.tattoo2me.com

Mais desse autor

Mais Recentes

Debby Mota: Um corpo livre em constante movimento

Conheça Debby Mota, artista especialista em artes afro e indígenas.

A Ciência por trás do processo de tatuar

Como o pigmento é um corpo estranho para o nosso organismo, ele pode causar reação alérgica ou não, saiba mais aqui!

Lugares mais doloridos do corpo

Os níveis de dores podem ser diferentes para cada organismo, leia mais aqui!

Publicidade

Mais Populares

Queloide ou granuloma? Entenda a diferença!

Apareceu uma bolinha no seu piercing? Se sim, a primeira coisa que vem à nossa mente é a tão temida queloide. Mas, na maioria das vezes, o caso se trata de um granuloma.

O significado da tatuagem de borboleta

Pra você que ama esse animal da nossa fauna e flora, vem ver qual o significado da tatuagem de borboleta carrega em seus desenhos! Você vai se surpreender!

84 inspirações de tatuagens femininas

As tatuagens mais lindas que você vai ver hoje, e tudo isso para te inspirar na sua próxima tattoo.