Tatuagem e Biossegurança: o que você precisa saber para realizar um procedimento seguro

Nessa matéria você poderá tirar suas dúvidas sobre biossegurança específica para tatuadores e quais são os protocolos a serem seguidos dentro do seu estúdio de tatuagem.

Foto de Pavel Danilyuk no Pexels

Você tatuador já ouviu falar em biossegurança? Quando temos um estúdio de tatuagem além de nos comprometermos a entregar uma arte com qualidade também temos obrigação de ter cuidados com a saúde dos nossos clientes, e é aí que a biossegurança entra.

Nessa matéria você poderá tirar suas dúvidas sobre biossegurança específica para tatuadores e quais são os protocolos a serem seguidos dentro do seu estúdio de tatuagem.

O que é biossegurança e porque é tão importante?

A biossegurança é o conjunto de ações voltadas para a prevenção, minimização ou eliminação de riscos inerentes às atividades de pesquisa, produção, ensino, desenvolvimento tecnológico e prestação de serviços, visando à saúde do homem, a preservação do meio ambiente e a qualidade dos resultados.

Quando falamos de biossegurança específica para procedimentos de tatuagem devemos pensar em práticas que buscam preservar a saúde do cliente e também do tatuador. Ainda que seja um procedimento superficial, trabalhamos com a manipulação da pele humana utilizando agulhas, portanto o contato com sangue e fluidos corporais é inevitável.

O maior risco no procedimento de tatuagem é a contaminação cruzada, que é quando ocorre a transferência de contaminantes entre os materiais de trabalho ou superfícies. As gotículas de sangue e fluídos podem transferir doenças graves como hepatite, herpes, sífilis, vírus e infecções bacterianas.

Foto de cottonbro no Pexels

Os cuidados devem ser tomados desde antes da tatuagem, com a preparação do ambiente e dos materiais. Para prevenir a contaminação cruzada devemos seguir alguns protocolos importantes:

FICHA DE ANAMNESE

A primeira ação é exigir uma ficha de cadastro e anamnese com todos os clientes. Nessa ficha devem conter a identificação do cliente (nome completo, data de nascimento, número de identidade, endereço), data de atendimento, qual procedimento será feito (informações sobre a arte e local do corpo), avisos sobre eventos adversos (reações esperadas sobre o processo de cicatrização, alergias, infecções), e perguntas sobre o histórico de saúde do cliente (problemas de cicatrização, alteração na pressão sanguínea, hemofilia, epilepsia, diabetes, anemia, hepatite, desmaio e alergias).

MATERIAIS DE TATUAGEM

Atualmente temos um mercado com grande variedade de produtos e marcas de materiais como agulhas, cartuchos e biqueiras. Como tatuador, procure sempre materiais com aprovação da ANVISA que seguem os protocolos de esterilização e qualidade para preservar a saúde do seu cliente e a qualidade do seu trabalho.

PREPARAÇÃO DO AMBIENTE

É importante que o procedimento de tatuagem seja feito em um ambiente específico, organizado e pensado para o atendimento.

Uma recomendação é garantir que o espaço para tatuar não contenha um excesso de mobília, decorações e itens soltos que dificultam a higienização correta. Um estúdio decorado é super legal né? Considere manter a área decorada separada da área de procedimento, como uma recepção ou sala de espera que você consiga deixar a sua cara sem prejudicar a segurança dos seus clientes.

Na preparação do ambiente também devemos considerar a preparação da bancada de procedimento de forma apropriada. Todo o material não descartável (máquinas, clipcord, fonte, pedal) e superfícies de apoio (maca, suporte, bancada) devem ser protegidos e isolados com plástico filme PVC ou protetores específicos de uso único. Após o procedimento todo o ambiente deve passar por desinfecção, incluindo as superfícies como bancadas, cadeira e maca.

Foto de cottonbro no Pexels

DESCARTE APROPRIADO DE MATERIAIS

Agulhas, cartuchos e lâminas de barbear devem ser sempre descartados após o uso individual e não devem ser reutilizados em outra pessoa em nenhuma hipótese. Os materiais perfurocortantes precisam de tratamento especial para descarte em embalagens específicas e precisam ser recolhidos para incineração.

O material líquido (tintas e água usada para limpeza da agulha) precisam passar por um processo de solidificação para descarte no lixo infectante, não podendo ser descartado na rede comum de esgoto.

O material descartável (máscaras, papel toalha, algodão, plástico filme PVC, biqueiras, batoques, tinta, grommet, elástico, protetores de máquina e clipcord, etc.) também deve ser separado do lixo comum, em sacos leitosos para lixo infectante e deve ser encaminhado para tratamento.

USO DE EQUIPAMENTO de PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI)

Os equipamentos de proteção individual são materiais específicos para proteger o tatuador contra os riscos de contaminação durante o procedimento de tatuagem. Além de garantir a sua segurança e dos seus clientes, também mostra sua preocupação com um procedimento seguro.

Os materiais mais importantes são as luvas para procedimento, máscara descartável, avental, touca, mangas descartáveis. O uso de EPI deve ser realizado durante todo o procedimento, desde a colagem do decalque, preparação da bancada, e também durante a higienização pós procedimento.

Foto de cottonbro no Pexels

E aí, restou alguma dúvida sobre biossegurança para tatuagem? Veja também outras matérias do Blog Tattoo2me sobre o tema:
É possível fazer uma tatuagem em segurança na pandemia?
5 Passos Simples para Fazer uma Tattoo com Segurança
Achou caro? Entenda os bastidores da tattoo

Gostou do textinho? Acompanhe o meu trabalho no Instagram!
Júlia Sincero
Tatuadora de fofurinhas desde 2017, tentando deixar o mundo arco-íris uma tatuagem de cada vez 🌈 Graduada em História, apaixonada por gatos, livros, animações da Disney, anime, mangá e video games 🎮 Acompanhe meu trabalho no instagram clicando em:
Júlia Sincero (@jusincero).