Você conhece a história da tatuagem?

Você conhece a história da tatuagem?
Pouco depois dos humanos aprenderem a se comunicar por desenho surgiu a vontade e a cultura de marcar a própria pele com formas e códigos que reforçam a identidade de cada indivíduo, surgindo a história da tatuagem.

Pouco depois dos humanos aprenderem a se comunicar por desenho surgiu a vontade e a cultura de marcar a própria pele com formas e códigos que reforçam a identidade de cada indivíduo, surgindo a história da tatuagem

A tatuagem compreendida como formas de fazer desenhos em seu próprio corpo é um dos costumes mais antigos e universais da humanidade. 

Diversas sociedades utilizavam esse recurso como fator de identidade, comunicação e até de cura. 

Alguns indícios colocam registros de tatuagens sendo utilizados até três mil e trezentos anos antes do nascimento de Cristo. Nesses registros, tribos utilizavam o carvão para desenhar áreas com dores acreditando que isso causaria o restabelecimento da saúde. 

Dando um salto de mil anos, da Europa para o Egito os desenhos na pele eram utilizados como homenagem e pedido de proteção para as mulheres em reverência à deusa da fertilidade. Depois, os soldados utilizaram tatuagem para se identificar até o uso atual delas. 

Como uma etiqueta adesiva transparente em um papel a tatuagem é a marcação da pele quase sempre pela vida toda. 

Quanto mais o ser humano e o indivíduo se entende como pessoa e explora seu universo cresce a vontade de registrar a identidade na própria pele. 

Chegou em um ponto que as tatuagens passaram a reunir uma série de estilos e técnicas diferentes para representar diferentes mensagens ou personalidades, seja por estilo ou gravar algum momento de vida na pele, cada vez mais as pessoas procuram por tatuadores. 

Esses profissionais por muito tempo foram até marginalizados, junto com seu trabalho e estudo. 

Contudo, hoje se reforça a ideia de que além de artistas eles precisam seguir todo um código de ética e cuidados sanitários rígidos para oferecer a tatuagem perfeita. 

Como a tatuagem surgiu em diferentes partes do mundo

A popularidade das tatuagens é cada vez mais geral e é comum que se associe essa onda de pessoas procurando por tatuadores por uma moda jovem e passageira como um produto que surge no mercado, explode de vendas e desaparece como uma máquina de pegar bolinhas.

Por mais que as tatuagens sejam sim um desejo das pessoas mais jovens que até esperam chegar na maioridade para fazer seus primeiros desenhos, mas não só atualmente esse serviço também é procurado por outros públicos como é uma tradição milenar. 

O hábito de se expressar como indivíduo ou socialmente por meio de desenho no corpo é tão fundamental do comportamento humano que surgiu há pelo menos três mil anos antes de Cristo.

E após isso se espalhou em diversos pontos do mundo simultaneamente e com diferentes funções e técnicas.

Como uma camiseta de uniforme para empresa, a tatuagem é uma forma poderosíssima de identificação e comunicação, por meio de um desenho é possível inferir os mais diversos povos antigos.

Indígenas, maias, maias, povos polinésios, romanos, japoneses até as “tribos” sociais do dia de hoje. A tatuagem pode definir uma origem histórica, social, local, étnica e até religiosa de um povo ou um indivíduo. 

As tatuagens podem simbolizar dentro de culturas a fertilidade, o empoderamento, a virilidade, a resistência e outros sinais sociais tão fundamentais para as pessoas que elas decidem gravar na própria pele de forma definitiva. 

O primeiro registro conhecido de tatuagens datam de três mil trezentos e setenta anos antes de Cristo. 

Uma múmia encontrada nos Alpes tinha desenhos em pontos que coincidiam com o de pontos de acupuntura, ou seja, eram usadas como um processo de cura.

Além desse achado, foram encontrados registros tão antigos quanto em diversos cantos do mundo em contextos utilizações, técnicas e estilos diferentes. 

Todos os cinco continentes apresentam registros antigos de hábitos semelhantes às tatuagens com suas especificações. 

No Egito antigo a tatuagem estava relegada às mulheres por conta da religião, os desenhos no corpo eram feitos em processos ritualísticos que pediam à deusas a fertilidade do corpo feminino e a proteção do próprio lar ou de seu vilarejo. 

Já na sociedade romana as tatuagens não eram usadas para demonstrar status, a priori  os tatuados da época eram criminosos, escravos e condenados. 

Com o tempo, a visão do império foi mudando e a tatuagem se tornou uma forma de marcar  condecorar soldados.

Esse uso se estendeu por toda Europa até o século 11, depois a tatuagem foi proibida por ser uma profanação ao corpo. 

Onde se tem mais relatos de usos sociais da tatuagem é no oriente e essa tradição se estendeu de forma diferente em diferentes culturas.

A curiosidade é que muitas técnicas antigas feitas com ossos e tinta vegetal com aplicações nas camadas mais superficiais da epiderme se assemelham muito com uma técnica chamada Stick and Poke Tattoo, mais popular a cada dia atualmente. 

Do oriente a tradição da tatuagem é muito mais antiga que a porta automática de vidro. Na China ela é chamada de Ci Shen e por muito tempo também tinha um tratamento mais clandestino como uma subcultura de pessoas colocadas à margem da sociedade.

Apesar de uma ligação muito ligada à criminalidade, alguns povos de menor número em território chines possuem tradições ainda baseadas em tatuagens específicas. 

Alguns grupos tatuaram o rosto de mulheres com a crença de proteção e essa tradição perdura até hoje. 

Outro grupo Chinês tatuava todo o seu povo a partir dos 13 anos como um ritual de chegada à maioridade. As mulheres recebiam desenhos delicados nas mãos enquanto os homens adornavam as costas e os braços com dragões, tigres e criaturas mitológicas. 

No Japão a tradição também surgiu relacionada à criminalidade. Esse adorno na pele foi estigmatizado por quase um milênio até que as guerras de invasão começassem a surgir e os japoneses tatuados mostrassem seu valor. A partir de então elas viraram sinal de bravura. 

Organizações criminosas como a Yakuza adotaram uma vertente de desenhos como sinal de confiança e graças a isso elas chegaram a ser proibidas em alguns territórios. 

Até hoje alguns empreendimentos como lojas e restaurantes não recebem pessoas tatuadas. Os Maori são outro povoado com sua cultura profundamente relacionada às tatuagens. 

Assim, como detalhes de design de interiores como divisória de parede de madeira a tatuagem também compõe a mistura de hábitos e tradições desse povo da Nova Zelândia. 

Para as tribos Maori a tatuagem é um elemento de personalidade, cada traço representa uma narrativa sobre a vida, os sonhos, desejos e sobre a própria comunidade em que esse indivíduo vive. 

As tatuagens de cada membro de tribos Maori guardam significados únicos e utilizam elementos diversos para registrar a trajetória do membro. Homens e mulheres tatuavam partes diferentes do corpo reforçando as identidades de beleza e virilidade. 

Como a técnica de tatuagem evoluiu ao longo dos anos

Assim como a tecnologia de um ventilador de teto industrial, as técnicas de tatuagem mudaram muito ao longo do tempo. 

A humanidade integrou a tatuagem a sua cultura com instrumentos precários e pontiagudos, mas hoje as máquinas são muito mais seguras. 

No japão os tatuadores utilizavam pedaços afiados de bambu com tinta natural, tribos utilizavam ossos, troncos, pedras e outras técnicas para perfurar a pele e injetar o pigmento normalmente encontrado em frutas ou minerais. 

No início do século dezenove uma máquina de perfuração de papel foi modificada para se tornar a primeira máquina elétrica de tatuagem. 

Com o tempo esse dispositivo ganhou a tecnologia rotativa, pedais e toda a estrutura que se conhece hoje. 

Essa evolução fez com que uma operação rudimentar se tornasse uma ação tão tecnológica quanto a instalação de uma persiana rolo automática

Essa evolução melhorou a segurança, eficiência, conforto e a precisão do traço, com isso surgiram diversas técnicas:

  • Estilo New School;
  • Estilo Geométrico; 
  • Lettering; 
  • Dotwork;
  • Fotorealismo; 
  • Fineline. 

Cada um desses estilos representa uma vertente, estilo ou técnica de desenho diferente desenvolvida ao longo do tempo. 

A tatuagem é cada vez mais um espaço de ação de artistas que aprimoram as técnicas e representam os desejos de pessoas em suas próprias peles.

Considerações finais

Sendo assim, hoje em dia a tatuagem se tornou uma forma popular e cada vez mais desmistificada de se representar a própria vida e personalidade na pele. 

O que hoje é comum já passou por diferentes momentos, desde proibições e marginalizações até serem tratadas como códigos. 

Muito se evoluiu no entendimento de que fazer tatuagem é uma decisão importante, por mais que exista formas de cobrir ou apagar um desenho, o ideal é pensar bem antes da sessão. 

O ponto mais importante é encontrar um tatuador de confiança com toda a estrutura de limpeza com detergente tensoativo, equipamentos descartáveis e outras necessidades para uma tatuagem nítida, permanente e segura. Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.